O Psicólogo é um profissional formado em Psicologia, um curso superior com duração de cinco anos. Na graduação ele aprende uma série de teorias que buscam explicar o comportamento humano, tanto o saudável, quanto o não saudável. Sua formação contempla também estratégias específicas de avaliação psicológica (técnicas de entrevista, de observação, aplicação e correção de testes e escalas padronizadas, entre outras), disciplinas focadas na compreensão e promoção de mudanças sobre o comportamento em contextos específicos (clínica, empresas, escola, hospitais, assistência social, entre outros), o estudo da cultura, da biologia e da influência delas sobre o comportamento e vários outros assuntos relacionados.

A graduação em Psicologia é uma formação generalista. Ao concluir o curso, o profissional não é especializado em nenhum campo de atuação e em nenhum método de trabalho em particular. Cabe a cada Psicólogo se especializar através de cursos adicionais (formações, especializações, mestrado, doutorado, cursos de extensão), supervisão com outros profissionais mais experientes, participações em congressos e estudo individual (leitura, pesquisa, etc.) em um ou mais campos de atuação e em um método de trabalho em particular. O psicólogo pode se especializar em relação ao público (adultos, crianças, idosos, mulheres em geral, mulheres vítimas de violência, população LGBT, vestibulandos, etc.) com que trabalha, também.

O campo de atuação de um Psicólogo diz respeito ao contexto em que ele atua. Um Psicólogo clínico atua na clínica e lida com as demandas que são características da clínica, como desenvolvimento pessoal para conquista de metas, tratamento de transtornos mentais, entre outras. Um psicólogo organizacional atua em empresas e lida com as necessidades desse contexto, como treinamentos, processos seletivos e várias outras.

O método de trabalho do Psicólogo é sua abordagem. Uma abordagem diz respeito à visão de mundo do psicólogo, aos conceitos que ele utiliza para compreender o comportamento humano, à sua forma de conduzir a sessão de terapia e ao tipo de intervenção que utiliza. Cada abordagem o orienta em todas estas dimensões e, em geral, existem diferenças significativas na forma com que profissionais de diferentes abordagens interpretam o comportamento e intervém sobre ele.

 

O que são as Terapias Comportamentais?

As Terapias Comportamentais são um conjunto de abordagens da Psicologia. Entre elas, se destacam a Terapia Analítico Comportamental, a Terapia de Aceitação e Compromisso, a Terapia por Contingências de Reforçamento, a Terapia Comportamental Dialética, a Terapia Analítico-Funcional, a Terapia de Ativação Comportamental, a Terapia Comportamental Integrativa de Casais e a Psicoterapia Comportamental Pragmática. Todas elas possuem características filosóficas, conceituais, metodológicas e tecnológicas semelhantes o bastante para que possam ser agrupadas em uma mesma categoria (Terapias Comportamentais), mas também se diferenciam o suficiente em cada uma destas dimensões para que recebam nomes diferentes.

As semelhanças e diferenças entre as Terapias Comportamentais são abordadas em diversos trabalhos acadêmicos. No entanto, Jonatas Passos, um reconhecido terapeuta comportamental contextual brasileiro, as resumiu no artigo “As Terapias Comportamentais: um mar de siglas, ondas, concordâncias e discordâncias”. Acesse clicando aqui.