A cena é comum. Você está conversando com uma pessoa e de uma hora pra outra ela para de responder.
– Fulano, você tinha que ver o que aconteceu. Eu estava no bar e passou aquela sua amiga que eu queria conhecer, lembra?
– Aham. Sim…
– Cara, você não vai acreditar no que aconteceu (*PLIM* barulho de mensagem). Eu estava lá e ela me deu uma encarada….
– (pausa de alguns segundos). Ahn, tava aonde?
– No bar, cara. Daí ela passou e (*PLIM*) eu resolvi (*PLIM* *PLIM* *PLIM*)… Fulano…”
Esta pessoa não tem um novo transtorno psicológico e não deu um piripaque do Chaves. Ela é mais uma que está mandando mensagens e curtindo as redes sociais enquanto tem uma interação ao vivo. Pode não parecer, mas isso tem trazido problemas para as interações sociais.
celular na testa

O que é uma Interação Social e quando ela é agradável?

Podemos dizer que duas pessoas estão interagindo e se comunicando quando a pessoa “A” emite uma informação e “B” compreende o que “A” disse através de sinais claros como: acenar com a cabeça, falar algo sobre o mesmo assunto, responder o que lhe é perguntado, executar o que “A” solicitou, rir, concordar, discordar, etc..
Interação não consiste apenas em uma pessoa falando enquanto a outra está ouvindo. Para que uma interação seja agradável é necessário que as pessoas consigam compartilhar informações em uma via de mão-dupla, preferencialmente em um clima ameno. Fundamentalmente, conversamos e falamos com outras pessoas por conta da atenção que recebemos.
Professores que tendem a ignorar o que os alunos falam acabam por fazer com que os alunos diminuam a quantidade de perguntas (e sejam considerados professores chatosdespreparados que precisam melhorar). Pessoas que respondem perguntas com respostas curtas e secas acabam por “diminuir a vontade” do outro em continuar perguntando e interagindo.
Note que a tal da comunicação e interação com outro ser humano não é simples. Não basta responder ao que é perguntado, é preciso demonstrar sinais de que está “prestando atenção”. A atenção é o combustível que mantém a conversa e a interação, sendo assim, não existe a menor possibilidade de ocorrer uma interação agradável se as duas partes não estiverem atentas umas as outras ou se a atenção ocorrer de forma intermitente (uma hora eu tenho, outra hora eu não tenho).

 Concorrência Desleal

Ok, ok, antes de prosseguir com o texto temos que admitir uma coisa: existe uma concorrência desleal. Ao termos acesso a redes sociais e troca de mensagens temos um monte de coisa interessante que podem ser vistas, compartilhadas e curtidas. Interagir com o celular é uma fonte de notícias sempre novas, piadas e vídeos interessantes a cada minuto e isto realmente vai concorrer a sua atenção com a pessoa que estiver a sua frente. Mas o que será que isso tem causado?

 Efeitos Colaterais

Quando comecei a escrever este texto ainda não sabia da existência desse estudo, mas como acompanho o excelente blog do Dr. Cristiano Nabuco acabei descobrindo que saiu o primeiro estudo sobre o efeito que este comportamento tem no cônjuge.
Na verdade, o ato de “ignorar o outro” tem um nome específico, o “Phubbing”: a junção de phone (telefone) e snubbing (esnobar).
O que o estudo demonstrou é que o tempo livre dos casais tem sido afetado por este tipo de comportamento e que isto parece estar associado à insatisfação geral com o relacionamento.
Não sei de estudos que falam sobre as consequências deste comportamento para outros relacionamentos, mas imagino que o efeito seja parecido, a saber: “esnobar” alguém ao utilizar o celular causa incômodo e atrapalha a sua satisfação geral com este relacionamento.

 O que fazer?

– Se você faz isso, tente reservar um tempo para cada atividade. Se for para interagir com quem está perto, interaja com esta pessoa e não com todas as outras das suas redes sociais.
– Se precisar utilizar o telefone, avise a outra pessoa e interrompa a conversa, faça o que precisa ser feito e depois volte a conversar.
– Se você interage com alguém assim, demonstre que ESTE COMPORTAMENTO está te incomodando e que você gostaria de aproveitar mais a companhia desta pessoa sem tantas interrupções.
– Se alguém “puxar a sua orelha”, avalie se isto realmente não está ocorrendo de maneira excessiva.
Por último, e não menos importante, aproveite mais os seus momentos off-line. Navegar na internet, trocar piada, fotos e vídeos são atividades prazerosas? Sim, mas dificilmente serão mais prazerosas do que a interação na “vida real”.
fale ilimitado
O celular anda atrapalhando as suas interações?